Entre Meios e Fins, Escolha os Princípios

Entre Meios e Fins, Escolha os Princípios
Compartilhe nosso conteúdo.
Share on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

Você acredita que os fins justificam os meios? Geralmente esse frase é atribuída à ideologia de Nicolau Maquiavel – apesar de nunca ter sido encontrada em nenhum escrito seu. Os defensores dessa ideia consideram que governantes estão livres para adotar todo tipo de prática (meios) independentemente de serem éticas, morais ou legais. Essa liberdade é conquistada seus resultados (fins) alcançados atenderem supostamente ao bem comum da população ou grupo em questão.

Essa filosofia se espalhou ao longo do tempo e hoje encontra multidões de partidários em todo mundo. E você? Compra essa ideia? Concorda com o Teólogo Jesuíta Hermann Busenbaumque escreveu em 1645 “quando o fim é bom, também são os meios”?

Para refletir sobre o tema proponho ficar com o mantra pragmático dos empreendedores-executivos de grandes empresas: “o importante são os resultados!” ou uma derivação dessa frase como “a empresa vive de resultados!”. Proponho fazer uma análise da filosofia de Maquiavel aplicada no cotidiano das organizações tendo este mantra como pano de fundo.

Então vamos lá!

O que é resultado? É certo definir resultado como viver umprazer hoje, colher um fruto ou usufruir de algo que não será duradouro? Ou resultado é melhor definido emobter colheitas duradouras período após período? Não seria melhor opção obter resultados até menores no curto prazo porém mais duradouros, com menos oscilações, variações e “humores”?

Amigos leitores, é nesse ponto que entendo que o pragmatismo do resultado se encontra com a ideologia de priorizar princípios. Vivemos num mundo que aumenta dia após dia significativamente sua complexidade. A capacidade das organizações intervirem em decisões de seu time,tem diminuídoconsistentemente. Cresce nesse cenário a necessidade de confiarmos nas pessoas. Confiarmos que farão as escolhas certas quando precisarem decidir. Que saberão como agir, enxergando-se como parte importante de um grande corpo que é a organização.

Confiança não se cria em relações puramente oportunistas, manipuladoras e vazias de princípios. Ela é conquistada com o tempo quando nosso comportamento torna-se previsível e alinhado com princípios essenciais da organização, que por sua vez precisam respeitar princípios éticos e legais da sociedade em que está inserida, sem o qual tornam-se insustentáveis no longo prazo.

O encaixar destas partes Sociedade-Empresa-Equipe-Indivíduo em alinhamento de princípios é que produzirá o ambiente favorável para uma organização inovadora, eficiente e que gera valor para o cliente crescer de forma sustentável. Por isso não basta entregar resultados. Precisamos entregar resultados sustentáveis.

Realizar este desafio exige uma inversãona ideologia de Maquiavel. Os meios é que precisam justificar os fins. O mérito está em fazer o que precisa ser feito(processos, pessoas, estratégia, governança, etc) da forma certa (respeitando os princípios essenciais, a ética e as leis). A sustentabilidade só é alcançada quando semeamos os “meios certos” no terreno das oportunidades.

Por isso entre meios e fins, escolha os princípios.

Forte abraço,
Marcelo Andrade – Exmerare

Compartilhe nosso conteúdo.
Share on Google+Share on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Facebook

comentários